Preciso de quantos dias de esforço para conquista de um hábito?
Planejamento x estratégia, eis a resposta!

Planejar demanda estabelecer cronograma e isso significa definir dias e semanas e, para que esse tempo seja bem aproveitado, estratégias de ação são fundamentais. É por isso que eu entendo o protocolo de estabelecer uma quantidade de dias para consolidação de hábito como algo muito viável e coerente.

Na década de 1950, o doutor e cirurgião plástico Maxwell Maltz percebeu um padrão de comportamento muito comum em seus pacientes – esses levavam 21 dias (3 semanas) para se acostumar com as reconstruções faciais e com as amputações. Antes desse período, os pacientes amputados se comportavam como se tivessem um órgão fantasma. Após o período de 21 dias, eles mudavam o comportamento e aceitavam a nova condição.

Estudos feitos pela Phillippa Lally, da University College London, atestam que a eficácia da Teoria dos 21 dias está justamente na criação de um prazo, embora tenha verificado uma flutuação de 3 até 8 semanas. O mais importante é saber que ter um prazo, devidamente estipulado, contribui positivamente para a saúde mental de quem deseja mudar algum hábito.

É possível dar certo, agora, é colocar o corpo e a mente para executarem. Como?

Que hábito você deseja adquirir? É muito comum e extremamente saudável ouvirmos as respostas: “quero passar a praticar uma atividade física todos os dias”, “quero usar menos as redes sociais”, “quero tempo para estudar algo que me dê prazer” etc.

Você tem clareza “do porquê” e “do para quê” deseja conquistar esse hábito? Esse hábito está alinhado ao seu momento de vida? Corresponde ao seu propósito maior de existência?

Essas reflexões é que fazem a real diferença na sustentação do seu comportamento para conquista do novo hábito.

Muitas vezes, achamos que basta deixar a roupa pronta para caminhada para passar a caminhar ou desligar o celular durante as refeições para usar menos as redes sociais, mas isso não se sustenta por mais de 3 ou 5 dias, por quê? Porque a estratégia não foi bem elaborada.

A estratégia é a base do bom planejamento. É ela quem define a rota e a direção para se atingir um foco. Por isso, responder as perguntas “do porquê” e “do para quê” é fundamental.

Porque… quero caminhar, pois preciso conquistar mais energia para trabalhar ou quero um corpo mais definido ou quero ter um tempo somente para mim etc. Pronto, a mente ajuda a superar os desafios diários para acordar mais cedo, para enfrentar o frio… Mas suas respostas têm de ser verdadeiras, você precisa querer mesmo atingir aquele objetivo.

E o para quê? Essa é a pergunta e a resposta do “pulo do gato”.

Para ter mais energia para o trabalho, pois almejo uma promoção; para ter um corpo definido, pois o casamento está próximo; para ter um tempo somente para mim e treinar clareza mental, pois, no trabalho e na família, sou muito solicitada(o).

Você percebe que uma resposta vai solidificando a outra? Isso é estratégia!

Se desejamos conquistar um novo hábito, precisamos:
definir a quantidade de tempo para se manter persistente (não falhando um dia se quer – lembrando, bom senso é sempre bom senso)
conversar conosco (por quê? e para quê?)
alinhar a ação ao momento de vida em que se está
ter consciência de que o novo hábito ajudará na conquista do seu propósito de vida

Faça esse exercício de conversar com você. Perguntas e respostas ajudam na elaboração de sua estratégia de ação e, aí sim, os dias planejados (18, 21, 45, 60 ou 254) serão, realmente, vividos e trarão a concretização do novo hábito.

Porque somos impermanentes, cada momento de nossa vida exige de nós um hábito novo, já pensou nisso? Por isso, se você aprende a planejar, criando boas estratégias, tudo fica mais fácil.

Bora planejar?

Categorias

Leave A Comment

Related Posts