Ficar olhando para o futuro e não vivenciar o aqui e o agora é um péssimo hábito. Apresento, neste texto,  reflexões sobre não desconsiderar o futuro, porém mantendo a presença no presente.

Gosto de entender o hábito como: momento em que o corpo se coloca em movimento para seguir uma rota com excelência e quase no piloto automático. E é isso que fazemos logo ao acordar, pensando: “Como será o meu dia hoje?”. 

Essa pergunta vem no automático e é um bom hábito quando temos uma rotina definida e a clareza de conhecer a rota a ser seguida. A resposta tranquila e imediata permite uma espreguiçadinha marota e um levantar com calma, deixando para trás a cama quentinha.

Esse pensamento futuro que chega ao acordar é muito saudável quando estamos em equilíbrio com o passado. Que significa isso? Significa que você, no dia anterior, traçou a rota, que você selecionou, priorizou e colocou suas obrigações e prazeres nos momentos adequados. A mente agradece e o pensamento, inevitável do futuro, não desestabiliza e não provoca angústia.  

A palavra TALVEZ nos traz o futuro para o hoje e…

TALVEZ no final do mês o orçamento financeiro da casa estoure. TALVEZ, no final do ano, a empresa possa querer desligar muitos funcionários. Talvez, daqui a 5 anos, meu filho não terá tantas oportunidades de trabalho…

Focamos na hipótese triste do futuro e o lamento toma o lugar das ações do agora. Como assim, Sandra? Assim… Se não fiz e não segui um planejamento de gastos, pronto: pode ser que o orçamento estoure mesmo. Se ando tenso e não consigo focar e, por conseguinte, não entrego minhas obrigações no prazo e não cumpro as metas estabelecidas, pode ser, sim, que eu esteja na lista dos desligados da empresa. Se não consigo tempo e disposição para estar com meu filho, ajudando-o a encontrar, nas relações familiares,  equilíbrio emocional, pode ser, sim, que ele, diante de tantas mudanças tecnológicas e nos sistemas educacionais, não consiga encontrar o seu lugar ao sol no mundo das profissões…

Sim, o futuro pode ser vivido no presente com ações pontuais do aqui e do agora e isso não é uma frase feita é uma frase que nos permite colocar o nosso eu, a nossa realidade para, vivendo o que é possível e necessário, possamos dar base para o futuro que ora tememos e outras, desejamos. 

Ninguém planta uma mangueira e colhe goiaba, se você quer chegar no futuro desejado, você  tem de viver o presente com o hábito de olhar o futuro com ações assertivas.

Hábitos bons para viver o futuro mantendo presença no presente:

No dia anterior, anote, em sua agenda, 3 prioridades para o dia seguinte.
Planeje com critério os gastos mensais, incluindo uma reservinha para imprevistos.
Faça exercícios de foco e concentração, com frequência, para ter agilidade e excelência na execução das tarefas do trabalho.
Esteja presente e participe, com amorosidade, da rotina de seu filho (o celular pode até ficar ao lado e ligado, mas, ao falar com ele, exercite o olho no olho e sorria.

Não viva olhando o futuro, viva o futuro agora. Eu aprendi que planejar é muito bom, mas desfrutar o dia é o que sustenta um bom planejamento. O medo? O medo do futuro? Ele fica quietinho quando sei que é só amanhã que ele poderá chegar. Poderá? Entendeu? O futuro é consequência do que eu e você fazemos hoje, por isso o hábito de olhar o futuro, estando presente no presente é um hábito MARAVILHOSO.

Categorias

Leave A Comment

Related Posts